• Mariana Ferreira

Porto Alegre (RS): o que fazer em 24h na capital gaúcha

Uma cidade enorme, com atividades ao ar livre, atrações culturais e ótima gastronomia.


Porto Alegre é fácil de se visitar em um roteiro de final de semana ou até mesmo para quem vai fazer uma parada antes ou depois de alguma viagem para as regiões próximas, como foi o meu caso.



1/2 Xis Gaúcho Misto
Metade do Xis Gaúcho Misto

Meu voo chegou próximo da hora do almoço, então segui do aeroporto para o Xis Júlio Paris experimentar o famoso xis gaúcho. Me surpreendeu o tamanho do lanche e o diferencial deles é uma deliciosa cobertura de queijo. Pedi o Xis Misto (R$ 40) que vem com coração, linguiça, ovo e bacon, o lanche alimenta facilmente duas pessoas e é extremamente saboroso.





Após o almoço, fui fazer o check-in no Eko Residence Hotel (diária média para 2 pessoas: R$ 170), conta com uma ótima localização - entre o Centro Histórico e a Cidade Baixa - e fácil acesso a diversos pontos de interesse. É um moderno hotel ecológico, que utiliza energia solar e cisternas para causar o mínimo impacto ambiental possível. Os quartos possuem mini cozinha, os funcionários são bem prestativos e o café da manhã é outro ponto positivo. Apesar de curta, foi uma ótima estadia e eu super recomendo esse hotel.


É possível conhecer as praças e o centro histórico a pé, e foi o que eu fiz:


Comecei com uma caminhada até o Parque Farroupilha (Redenção), queridinho dos porto-alegrenses, foi inaugurado em 1935 para uma exposição que comemorava o centenário da Revolução Farroupilha. Bem próximo também está a Praça Garibaldi e o Largo Zumbi dos Palmares, este último é onde se realiza uma das maiores feiras livres do Rio Grande do Sul todos os sábados pela manhã.


(Parque Farroupilha)


Foto: Joel Vargas/Prefeitura de Porto Alegre

Não dei sorte ao passar pela Praça Marechal Deodoro, pois estava fechada para revitalização. Ela é popularmente conhecida como Praça da Matriz, foi palco de fatos marcantes da cidade desde sua fundação, tornando-se centro cultural, cívico e religioso do povo gaúcho e é rodeada pelas seguintes atrações: Catedral Metropolitana, Theatro São Pedro e Palácio Piratini, construções imponentes que exibem um estilo barroco português.


Segui para a Praça da Alfândega, uma das mais antigas da Capital e que já foi conhecida como Praça da Quitanda, no século 18.





Após esses passeios, decidi visitar o Museu de Artes do Rio Grande do Sul (entrada gratuita), é um importante reduto de arte não só para Porto Alegre como para o Brasil. Vale conferir a grade de programação e visitar o acervo. Bem ao lado, aproximadamente 500m, com uma arquitetura neoclássica, está o Mercado Público de Porto Alegre - é o endereço certo para quem quiser provar a gastronomia local e comprar ingredientes, além de ser ótimo para fotos. Recheado de aromas e sabores, esta é uma parada mais do que obrigatória.







Por fim, ao voltar, parei na Rua 24 de Maio. Uma ligação entre o Centro Histórico e a Cidade Baixa e praticamente ao lado do hotel.


Meio escondida entre um conjunto de prédios antigos, está a Escadaria 24 de maio, que em 2011 recebeu uma nova cara. A artista plástica Clarissa Motta inspirou-se na famosa escadaria que liga a Lapa ao convento Santa Teresa, no Rio de Janeiro, e decorou os degraus com mosaicos feitos com azulejos.


O Parque Moinho de Vento (Parcão), um pouco mais distante do hotel, cerca de 3km, mas o Uber pra lá é bem em conta.


Um lugar arborizado, limpo, um oásis em meio ao moinho de ventos. Não chega a ser um ponto turístico, mas é um local agradável para relaxar, caminhar, fazer atividades físicas ou até mesmo um piquenique.


E ainda fui conhecer a famosa Rua Gonçalo de Carvalho, que é considerada uma das ruas mais bonitas do mundo, onde as árvores formam um túnel belíssimo.


Essa rua é um refúgio verde para o cinza da cidade e realmente merece o título de rua mais bonita.


Ao fim da tarde fui conhecer o que consideram o pôr do sol mais bonito de POA, apesar de ser inverno, fui agraciada com um dia ensolarado. A Orla do Guaíba é o ponto certo para assistir a esse espetáculo natural, tem bares, restaurantes, café, banheiros e é um ótimo lugar para atividades ao ar livre. Perfeito para uma caminhada ao entardecer, um passeio de barco ou simplesmente relaxar à margem do lago, ali também fica a Usina do Gasômetro, um dos mais prestigiados espaços culturais do destino.


Visitei o Bar do Espartano - inspirado na Grécia, o cardápio tem sanduíches que recebem nomes de semideuses e, os drinks, de deuses. A vibe do lugar bem legal e o bar conta com uma vista privilegiada.


Pôr do Sol na Orla do Guaíba

A noite, a última parada foi na Cidade Baixa, um bairro boêmio com diversos restaurantes, bares e botecos, lugar ideal para curtir a noite de POA. Visitei o Brechó do Futebol, paraíso dos boleiros e boêmios, o bar temático tem diversas opções de chopes e petiscos, e foi o lugar perfeito que encontrei para assistir ao jogo Olimpia x Flamengo pelas quartas de final da Libertadores.



Foram 24 horas conhecendo Porto Alegre e valeu super a pena. Então, se você tá indo conhecer o Sul, tente separar um espaço no roteiro para conhecer a cidade.



10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo