• Mariana Ferreira

Como planejar a sua viagem: escolha do destino, montar um roteiro e muito mais!

Atualizado: Mai 12



Você é do tipo que gosta de ter tudo planejado ou é daqueles que vão deixando para última hora? Eu sou do time que planeja cada detalhe antes de embarcar numa aventura e hoje vou trazer algumas dicas para quem quer começar do zero.


1. Faça uma lista com todos os destinos que tem vontade de conhecer.


Tendo uma lista com alguns lugares que você quer conhecer, amplia suas possibilidades de viagem. Cada destino tem uma melhor época para visitar, com menos chuvas, fora da alta temporada, preços melhores, paisagens mais vivas, festividades e etc. Nem todos os destinos são bons o ano inteiro e alguns podem ser bem mais especiais em algumas datas específicas. São diversos fatores que acabam favorecendo a sua escolha final.


2. Comece a pesquisar sobre seus destinos favoritos.


Esse é o melhor e um dos mais prazerosos momentos ao montar o seu roteiro. Pesquisar sobre o destino, ler dica, assistir vlogs, conversar com amigos que já visitaram, colher o máximo de informações, descobrir as principais atrações e os programas que mais tem a ver com seu estilo de viagem.


Nesse momento não é preciso começar a anotar nem se preocupar com nada, é apenas um primeiro contato com o destino para você entender e conhecer melhor sobre ele.


3. Verifique sua disponibilidade para viajar.


Quando ir e quantos dias ficar é o fator decisivo para planejar sua viagem. Ter pré-definido a época em que poderá viajar vai te ajudar a definir, daquela listinha de desejos, qual é o destino que se encaixa melhor. O clima será um fator eliminatório, mas também é preciso se atentar se naquele mês em específico possui grandes datas festivas, pois isso pode influenciar bastante o custo total da sua viagem. Por outro lado, a baixa temporada vai oferecer preços melhores, mas é importante ficar ligado em diversos fatores que podem acabar fazendo o barato sair caro.


E sabendo quantos dias poderá ficar, te dá uma possibilidade de fazer algo mais simples, em poucos dias, ou mais complexo, visitando outras cidades na mesma viagem. É recomendado sempre deixar um dia extra livre no seu roteiro, assim você poderá reprogramar algum passeio em caso de imprevisto, acrescentar alguma outra atividade de última hora ou simplesmente aproveitar para curtir a cidade.


4. Monte o seu roteiro.

É aqui que o seu roteiro ganha forma e é o momento de fazer as escolher corretas.


O primeiro passo é acompanhar as passagens aéreas e promoções. Além do preço, alguns outros fatores são importantes na hora de decidir o seu vôo, por exemplo:


Número de escalas e duração total do voo: de nada vale você comprar aquele vôo com o menor preço, mas em compensação ele possuir conexão de mais de 15 horas no aeroporto, além de 2 ou mais escalas, o que no total vai fazer com que seu vôo tenha 36h ou mais de duração.


Isso vai tornar sua viagem mais cansativa e te fazer perder o tempo que poderia estar aproveitando no destino.


Bagagem despachada: a grande maioria das companhias aéreas oferecem atualmente a opção de viajar somente com bagagem de mão, isso torna o vôo mais barato, porém verifique exatamente se esse limite será suficiente para levar as suas coisas;


Definido o voo, você poderá se aprofundar e pesquisar o que fazer, os melhores pontos turísticos, o hotel com a melhor localização, como se locomover, valores dos passeios, quanto custará sua viagem e tudo mais que envolve a organização do seu roteiro e o embarque rumo a viagem dos seus sonhos.


Como se deslocar durante a sua viagem é outro ponto importantíssimo no seu planejamento. Tendo em mente as atividades que quer fazer e os lugares que deseja visitar, vale a pena alugar um carro ou utilizar transporte público, transfer, táxi, Uber, passeios privativos, etc. ?

Você precisará colocar tudo isso na ponta do lápis e ver o que melhor se encaixa no seu orçamento e o que vai te dar mais conforto durante a viagem. A escolha do tipo de transporte que você vai utilizar é muito pessoal, mas fatores como acessibilidade a atrações, flexibilidade, disponibilidade, custos de estacionamento, trânsito e custo final devem ser levados em consideração na hora da decisão.


Depois de pesquisar sobre o que fazer e quais os meios de transporte, é a hora de escolher o seu hotel ou outro meio de hospedagem que melhor se encaixa ao seu perfil, como pousadas, hostel, Airbnb e etc. Quando você for reservar, deverá ficar atento a questões como a localização, avaliação dos hóspedes, o grau de conforto que você espera, se possui atividades que irão fazer parte do dia a dia da sua viagem e, por fim, a melhor relação custo x benefício.


Faça também uma lista com atrações e passeios que deseja visitar, assim você poderá organizar quais fazer no mesmo dia considerando a distância e o tempo médio para ficar em cada um. A gastronomia também faz parte desse pacote, é uma boa pesquisar sobre a culinária típica da região para ter uma ideia do que te espera, ou pesquisar restaurantes voltados à gastronomia que melhor te agrada. Leia bastante as avaliações dos viajantes, procure restaurantes próximo às atrações que irá visitar e vá anotando aqueles que deseja conhecer.


Uma dica nessa etapa é criar um mapa no Google Maps com todos esses lugares e restaurantes que deseja ir, assim você terá uma noção da proximidade, o que facilita na hora de se deslocar entre as atrações. Você ainda pode separar por cores, o que deixa mais organizado.


Para isso, acesse o site do Google Maps, clique nos 3 riscos no canto superior esquerdo, Meus Lugares, aba Mapas e clique em criar mapas.




5. Defina o seu orçamento.

Somente depois de decidir quantos dias vai ficar e o que deseja fazer, é possível pensar nos gastos médios da viagem. Tudo vai depender do seu estilo de viagem, se você quer algo mais econômico ou luxuoso, se você não abre mão de comer bem e etc.


O ideal é você pensar numa média de gastos por dia, mas sempre deixando uma margem com um valor maior do que o esperado para não passar aperto com possíveis imprevistos.


Essa média deve considerar:


- alimentação;

- passeios;

- compras;

- transportes;

- gastos extras;


OBS.1: isso são apenas os gastos no destino, considerando que você já comprou sua passagem aérea e já possui sua hospedagem reservada.


OBS.2: considere sempre o item de gastos extras para caso surja algo que você não estava planejando. Por mais organizado que seja a sua programação, imprevistos sempre podem acontecer.


Uma dica para ajudar no planejamento e ainda economizar é comprar ingressos e passeios com antecedência, assim você evita filas e ainda consegue bons descontos.


Outro ponto importante é nunca ter apenas uma forma de pagamento!

Não adianta viajar somente com cartão de crédito/débito, pois você pode perdê-lo ou ele simplesmente não ser aceito em algum estabelecimento. Também não vale a pena levar somente dinheiro, pois você pode ter alguma emergência financeira e isso não ser o suficiente.


Se estiver viajando para o exterior, avalie se é mais adequado levar dólar, euro ou a moeda local ou procure a melhor casa de câmbio para fazer a troca. Lembre-se que dólar e euro são aceitos em todo o mundo e, caso sobre algum dinheiro, você poderá guardar para a próxima viagem. O cartão de crédito no exterior é mais prático, entretanto tem a cobrança de 6,38% de IOF que vai deixar a viagem mais cara.


5. Faça um checklist com tudo que irá precisar para sua viagem.


Ter uma lista com tudo que você irá precisar para sua viagem é indispensável e, à medida que for lembrando de outras coisas, inclua imediatamente. Com a lista em mãos é mais difícil deixar algo importante para trás.


Documentação necessária: verifique se toda sua documentação está ok, lembrando que alguns países solicitam o visto de turista para a entrada, outros é exigido o passaporte com pelo menos 6 meses de validade a partir da data de retorno, consulte também o site oficial do consulado do país de destino para saber quais vacinas são exigidas. Para viagens no Mercosul, a cédula de identidade substitui o passaporte.


Portanto, pesquise bem sobre o seu destino para não ser pego de surpresa!


Também é uma boa você ter cópias dos seus documentos tanto em papel quanto online, assim você terá acesso a informações necessárias caso perca seus documentos ou seja furtado durante a viagem.


Na hora de escolher a bagagem ideal é preciso levar em consideração quais itens serão necessários durante a viagem. É importante saber o que pode ser levado na bagagem de mão, ou do contrário, pode ser necessário descartar algo que não é permitido no momento do raio-x. Já na bagagem despachada você tem uma liberdade maior, mas também possui limites. Verifique no site da companhia aérea essas informações.


Dependendo do destino, pode ser necessário fazer algumas compras antes de embarcar.


O clima do destino é um dos fatores que nos fazem gastar antes do embarque, mas também dependendo do estilo da sua viagem será necessário fazer compras especiais, como por exemplo se você for fazer trekking, passeios pela natureza, mergulho ou outros esportes que necessitem de equipamentos específicos, levar uma mochila impermeável, casaco corta-vento e etc.


Geralmente duas semanas antes da viagem é bom começar a pesquisar as previsões do tempo para o seu destino. Dessa forma, você consegue se preparar para eventuais mudanças climáticas e também fazer mudanças de última hora no seu roteiro, caso o tempo exija.


Procure sobre o seu destino como é o acesso a internet, estar conectado garante acesso a todas informações necessárias com rapidez e facilidade. Também é bom verificar se o local possui bancos e caixas eletrônicos para eventuais emergências.


Agora é só relaxar e aproveitar suas férias ao máximo!


Apesar de parecer complicado, planejar a viagem é uma tarefa simples, porém requer tempo. Seguindo esses passos você consegue organizar seu passeio, economizar e não perder tempo durante a viagem.





34 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba novas dicas de viagens do Mochilando por Aí!

2021 © Design por Mariana Ferreira.