terça-feira, 10 de maio de 2011

22/12/2010 - 8o dia: Santiago do Chile

Hoje o dia foi de batalhar passagem para ir pra Puerto Varas.
Gente! Não façam como eu!
Fui sem agendar NADA!
Não agendei nem hospedagem, nem transporte.
Na verdade não vejo necessidade em agendar, mas como era época de Natal e Ano Novo, complicou.

Então, aproveitei para ir ao Centro Cultural Estación Mapocho onde tinha uma exposição de fotografias super interessante! 
O lugar é gigantesco, é um espaço enorme onde acontecem mostras de fotografias, exposições etc...


Estação Mapocho

Centro Cultural Estación Mapocho

A arquitetura é divina




O Mercado Central fica logo do outro lado da rua. 
Como fui muito rapidamente no Mercado Central e só almocei por lá, resolvi entrar e ver tudo o que não consegui ver na ida anterior. 
E valeu a pena 

Mercado Central

 Erizos - Não aconselho! Dizem que é meio gosmento...


O famoso Congrio - delícia!
 Lá dentro tem umas barraquinhas cheia de bugigangas. Tem de tudo: ervas, souveniers etc...

Me falaram que tem uma lanchonete muito famosa de empanadas, o tipo de empanada clássica, tradicional perto do Mercado Central. 
Lá fui eu atrás da bendita né? Rodei, rodei e rodei e acabei descobrindo que fica atrás do Mercado Central. Dei voltas e mais voltas e a tal estava na rua de trás na Calle San Pablo. 
Mas valeu a pena. 
Maravilhosa!

A lanchonete fica em frente a essa Peluqueria

Essa é a lanchonete e ela se chama Empanadas de Pinno (pino se escreve com um n só mas a o nome da lanchonete é com um n só), simples assim...

Não comam nada antes, pois é um verdadeiro almoço!



A empanada de pino custa 650, ou seja, em reias => 2,60
De lá, parti pro centro pra continuar minha luta em busca de passagens. E nada feito! estava tudo tão complicado e difícil de resolver que até as empresas aéreas estavam fora do ar de tão congestionadas e não consegui ver passagem aérea porque by bus já tinha desistido. =(

 Fiquei dando voltas, olhando, passeando descompromissada já que o dia estava perdido e assim resolvi ir pro aeroporto no dia seguinte bem cedo pra tentar comprar passagem pra descer ou voltar pra casa.
Foi aí que comecei a ficar deprimida. Com pé torcido, morrendo de dor e todo enfaixado resolvi que iria pegar o primeiro vôo que tivesse. Ou Brasil ou Puerto Montt. Só poderia ir até a Região dos lagos e não poderia mais fazer Patagônia chilena e argentina já que não poderia fazer os trekking que havia planejado. Fiquei realmente deprimida!!!
Façam sempre um Plano B. Eu pensei que jamais fosse acontecer comigo, mas aconteceu. E meu maior sonho foi por água abaixo. O sonho de fazer trekking nas geleiras e acampar já não dava mais pra mim.... As dores eram realmente intensas.
Fui pra casa encontrar com Caetano pra um jantar de despedida.
Ele voltaria pro Brasil no dia seguinte e eu ainda não sabia o que iria acontecer.
Fomos jantar no Galindo
Endereço: Dardignac, 098
Recoleta

Pedimos uma Chorrilana que dá pra comer tranquilamente 2 pessoas e ainda sobra.
A chorrillna é uma mistura de lomo a lo pobre picado (bife em tiras) com batata frita, cebola frita e ovos mexidos por cima. Não tem uma cara bonita mas é bem gostoso.
A chorrilana custa 5.400
De entrada eles oferem pãezinhos com molinho e manteiga. O molinho é tipo vinagrete mas com coentro, é bem gostosinho. E é 0800 =)


 Chorrilana (lomo a lo pobre) com cebolas fritas, batata frita e ovos mexidos por cima

Dentro do Galindo 
Depois do jantar voltei pro hostel pra arrumar a mochila e tive que mudar de quarto. 
Fui parar no Big Dorm com 6 beliches, 11 homens e só euzinha de mulher. =P
Mas foi tranqüilo.  



Nenhum comentário: